Aciub se posiciona contra derrubada de veto e aumento de gastos

O Senado Federal derrubou o veto do presidente Jair Bolsonaro que garantia o congelamento salarial de servidores públicos até o fim do próximo ano. Foram 42 votos pela rejeição e 30 pela manutenção do veto. Agora caberá à Câmara dos Deputados decidir sobre o tema. Segundo integrantes da equipe econômica, se o veto for derrubado pelos deputados as despesas da União, estados e municípios poderão aumentar em R$ 98 bilhões. A Aciub se manifestou sobre esta decisão do Senado e o posicionamento dos representantes de Minas Gerais, chamando a atenção dos deputados em relação à necessidade de manter este veto. Confira:

Posicionamento Aciub

A Associação Comercial e Industrial de Uberlândia (Aciub) defende a contribuição de toda a sociedade, cada um a seu modo, às medidas de combate aos efeitos da Covid-19 tanto na saúde quanto na economia. Nesse sentido, parabeniza o posicionamento consciente do senador Carlos Viana (PSD-MG), que votou favorável ao veto de possíveis aumentos nos salários dos servidores públicos até o final de 2021.

Por outro lado, a Aciub lamenta profundamente os votos contrários à esta medida, por parte dos demais senadores que representam Minas Gerais: Antônio Anastasia (PSD-MG) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Estes parlamentares sempre tiveram total apoio da Aciub mas, neste caso, votaram de forma oposta ao que defende a classe empresarial, sempre a favor da austeridade nos gastos públicos em benefício de toda a população de Uberlândia, de Minas Gerais e do Brasil.

Esperamos que os deputados federais mineiros tenham consciência dos efeitos da crise no médio e longo prazo para a geração de emprego e renda, e mantenham o veto ao aumento do funcionalismo público corrigindo esta decisão equivocada do Senado Federal.

Independentemente do resultado final dessa votação, a Aciub seguirá externando o posicionamento da classe empresarial e acompanhando atentamente a forma como estamos sendo representados no Congresso Nacional, Assembleia Legislativa e Câmara Municipal, bem como nas esferas executivas.